21 maio 2007

Hoje...


Hoje…
Sorriste para mim
Com um olhar meigo
Cheio de tanta ternura
Enquanto contigo conversada
De boca fechada.

Tu…
Mesmo com os lábios fechados
Esboçaste um sorriso
Que não vi
Mas que senti dentro de mim
Numa fracção de segundo.

Hoje…
Tu…
Sorriste para mim.


12 comentários:

Otavio Pelegrini disse...

Obrigado pelo sorriso nessa manhã...
Abraço e boa semana

rosa disse...

Linda esse texto, chego a imaginar este sorriso terno. Att+

Paulo disse...

Obrigado Otávio pelas suas palavras.

Obrigado Rosa pela quase sensação deste sorriso.

Maria João disse...

Que esse sorriso apareça todos os dias. Principalmente nos mais neblusos.

beijos em Cristo

Catequista disse...

Que esse sorriso aconteça todos os dias, e não só hoje!
Bonito poema!
E já agora, que Senhora está representada na imagem?

Um abraço

malu disse...

Que essa fracção de segundo permaneça em ti para o resto da tua vida.

Impossível não sorrir com o teu poema :)

Paulo disse...

Concordo contigo Maria João, nesses dias (que não foi o caso) mais que nunca precisamos de um sorriso divino.

Amiga Catequista, a imagem foi fotografada na Igreja da freguesia da Agualva, ilha Terceira/Açores e é uma "versão" europeia da Nossa Senhora de Guadalupe, já que a "original" é morena.

Pois Amiga Malu, Deus te ouça e também a ti te proteja.

Cris disse...

Que este sorriso permaneça, para sempre na tua e nossas vidas. Beijinho

elsa nyny disse...

Oh! paulo!!

Fiquei eu também a sentir em mim este sorriso...lindo, lindo, lindo!!!


bj

NaSacris disse...

O silêncio, eloquente, permite estas coisas!
Abraço

Paulo disse...

Obrigado Cris.

Quase que fico sem saber o que dizer Elsa, tal a simplicidade das palavras.

Pois é nasacristia, no silêncio onde as vozes ecoam no silêncio, por vezes cria estes pequenos milagres.

rosa disse...

hoje estou tão indignada com meu pais que vim ver este sorriso, que ele sorria a nós