14 fevereiro 2008

Quando...?



"Deus escreve direito por linhas tortas! "

Ò meu Deus e Senhor, tanto que Te escrevo sobre estes caminhos sinuosos da Vida, tortos muitas das vezes e Tu, nessa rectidão infinita de bondade, aparentemente, não me ouves e nem me lês.
Eu sei e sinto que, no fundo Me lês e Me Ouves atentamente mas…quando, meu bom Deus?

7 comentários:

Ecclesiae Dei disse...

É comum passarmos por momentos de desertos, quando nos sentimos sozinhos, e distantes de Deus... prefiro crer que Ele me ouve todo o tempo, mas que sou eu, em minha humanidade, que não ouço suas respostas!
Continue confiando, é bom saber que nossos amigos também passam pelas mesmas dificuldades... isso aumenta nossa fé!

Grande abraço em Cristo.

Ah! Fique a vontade para copiar o Laço "contra a pedofilia"!!

Maria João disse...

Estes momentos não são fáceis...

Mas, às vezes, se não temos logo aquilo que queremos é por que Deus acha que não é a melhro altura. Pode também acontecer que Deus saiba que aquilo que queremos, não seja o melhor para nós...

Continuo a rezar por ti. Mas, é muito bom saberes que Deus está contigo, apesar desta fase.


beijos em Cristo

malu.capela@gmail.com disse...

Tu bem sabes que Ele está sempre contigo. Mora em ti.

"Eu sei e sinto que, no fundo Me lês e Me ouves (...)

Espera então que a Seu tempo te dirá.

Abraços!

malu disse...

(olha, ficou com o meu mail... ) :$

Catequista disse...

Aparentemente Paulo, porque na verdade Ele sabe quando será o melhor momento para nos atender e o melhor para nós.
Beijos

mafaoli disse...

Santo Agostinho disse: «Ao rezar pede a Deus aquilo que Ele quer para ti e Ele te dará aquilo que tu lhe pedes»
E eu confio que "Deus escreve direito por linhas tortas!"
Um bom dia!

Paulo disse...

Ecclesiae dei, na verdade continuo confiando, ainda que, o "deserto" por vezes aconteça.

Pois não Maria João.

Obrigado Malu.

Pois amiga catequista, Ele deve saber quando será a melhor altura mas...quando, pergunto?

Obrigado Mafaoli pelas tuas palavras, realmente, por vezes pedimos "coisas" que se calhar Ele acha não nos ser necessárias.