12 março 2009

"Deus responde no deserto"

De 25 a 29 desde mês vou estar em “retiro” no rancho de romeiros do qual faço parte. Este ano, sinto que preciso de “atravessar um deserto”. Um deserto de jejum e abstinência, um deserto de "pão e água". No meio dos restantes irmãos, não quero ser diferente deles, no entanto, preciso de sentir a “aridez” que por vezes (sem que seja de propósito) faço os outros passarem. Preciso de sentir a “falta de alimento” (atenção, carinho, compreensão, dialogo…) que por vezes (sem que seja de propósito) faço os outros passarem.

Não sei se serão sinais divinos ou meramente conjugações que a minha mente vai fazendo mas, tal como o livro que estou a ler que dá pelo título de “Deus responde no deserto” espero que ao atravessar este deserto de 5 dias Ele me responda. Não sei bem a quê, muito honestamente, mas sei e sinto que Ele vai-me responder a algo.


Fiquem com Deus e Sua Mãe Maria Santíssima

4 comentários:

Lavrador disse...

um abraço amigo deste seu servidor!
raras são as pessoas que encontro convictas da sua salvação. sabe porquê? porque a religião convenceu-nos que teríamos de fazer alguma coisa para sermos salvos, e assim condicionou a salvação completa de Jesus a simples esforços humanos!
mais um abraço!

Paulo disse...

Caro Lavrador, não penso que a religião me tenha convencido que tenho que fazer alguma coisa para ser salvo, no entanto penso que também a salvação não vem connosco de braços cruzados à espera. Penso sim que devemos levar a vida da maneira mais cristã. Quanto ao que me proponho fazer, també não é por causa da religião, já que o ser humano, convicto ou não da sua fé e até os ditos ateus, por vezes sentem necessidade de fazerem alguma coisa. Como sempre, agradeço o seu comentário.

malu disse...

esta vida sem esses "desertos" é que é um verdadeiro deserto já a tender para o inóspito.

Bom e santo retiro.
Com um abração em Cristo e Maria.

Canela disse...

Gostei des sua reflexão. Da sua atitude essencialmente.

É sempre benéfico e frutuoso um retiro, quanto mais o sentido que lhe damos, nem que seja procurar o nosso sentido de vida!

A Paz de Cristo