24 outubro 2006

Sou contra o Aborto..."por dá cá aquela palha"

Desculpem a frieza da seguinte foto mas, a verdade nua e crua tem que ser mostrada. O aborto, salvo excepções de forma maior, não deve ser uma forma legal de uma mulher se abstrair das suas responsabilidades como ser humano e do ser humano que transporta dentro de si, como se os preconceitos morais fossem absolvidos com base numa qualquer Lei criada pelo Homem.

Tantas familias que queriam ter uma razão da sua existência, tendo um filho e no entanto, por razões diversas não conseguem ter sem serem clinicamente assistidas e outras, desculpem as palavras, até por telepatia conseguem engravidar.


Deixemo-nos de referendos sem texto ou contexto onde se irá gastar mais alguns milhares de euros dos contribuintes (nós) e demos uma oportunidade há vida.


A propósito do assunto visitem o blog "Razões do não".

14 comentários:

Catequista disse...

Concordo em pleno com o que escreveste. Legalizar o aborto é retirar por completo a responsabilidade à mulher e ao homem. Sim, porque no aborto só se fala na mulher, mas ela é apenas uma das partes intervenientes.
Conheço muitos casais que lutam por alcançar um filho, e infelizmente não o conseguem. Outros há que rejeitam a vida gerada.

Paulo disse...

Sim amiga Catequista, tens razão alías, fala-se muito na mulher mas, ela só por si não concebe. O homem também tem algo a dizer e a fazer em relação ao assunto. Lamentavelmente, este assunto é mais um para se falar e gastar rios de dinheiro, quando os reais problemas do pais e da sociedade vão-se adiando interminavelmente.

Andante disse...

Eu digo NÃO!

malu disse...

Também concordo e com a catequista que traz um outro ponto que tem ficado à sombra.

Deixas aqui um bom contributo à causa que defendemos.

Abraços.

Paulo disse...

Obrigado Andante pelas letras MAIÚSCULAS

Paulo disse...

Malu minha amiga, tentei fazer o meu melhor por uma causa que deve passar "daqui" para o exterior, para os media.

Maria João disse...

É como eu digo. Quando é para abortar, o pai não tem direito a dizer uma palavra, mesmo que queira criar a criança. Quando é para receber a pensão de alimentos, aí já tem uma palavra a dizer.

Paulo disse...

Pois é Maria João, incoerências do sistema. Aqui há algum tempo (penso que ainda está em vigor) também se uma mulher quisesse fazer uma laqueação, o marido tinha que autorizar, já se o homem quisesse fazer uma vasectomia a mulher nada tinha a dizer. Casais para umas coisas, "solteiros" para outras.

joaquim disse...

Para mim, para além de todas as discussões cientificas e ou filosóficas, (muitas vezes pseudo-intelectuais), existe vida desde a concepção.
Se eu sou vida e gosto de viver, como posso eu negar esse direito seja a quem for.
Como posso eu estabelecer limites à vida dos outros seja porque razões seja.
Quando a caixa se abre ou melhor, é aberta, já não se pode fechar.
Temos o exemplo do Brasil em que uma deputada, propunha o "aborto"!? até aos nove meses!!!
E até conseguiu apoio da comissão eleitoral para revistar a casa Episcopal do Rio de Janeiro e o gabinete do próprio Bispo.!!!
Não, não e não.
Abraço em Cristo

Paulo disse...

Outro Joaquim...ao que isto chegou.

nahar disse...

Concordo plenamente com esta posição e vamos lutar pela vida. temos que ser nós a voz daquelas vozes que querem calar...

forte abraço em Cristo

Paulo disse...

Exacto nahar, temos que NOS FAZER OUVIR!

João Moutinho disse...

O aborto não é uma questão fácil, pois hão de continuar a fazer-se. em melhores ou piores condições.
Agora, por mais brilhante que seja a retórica de uamqulaquer das partes, a favor ou contra, não deixamos de estar perante um assassinato de um ser humano.

Paulo disse...

E foi tudo dito João Moutinho